25 maio, 2021

06 Pontos de atenção sobre gestão de projetos e de empreendimentos sociais

Comecei muito cedo no campo dos projetos sociais. 

É algo que te move. Te inspira a ter um propósito a seguir. Uma vez picado pelo insetinho da transformação social você não se descontamina fácil. Só sabe quem vive, quando você enxerga o impacto positivo na vida de alguém transformado através de uma ação, de um projeto em que você esteve envolvido, algo é incrível. 

Essa é a vida de quem trabalha com projetos sociais. Essa é causa dos empreendedores sociais que constroem soluções em formato de redes, organizações sociais, negócios sociais ou coletivos  informais.

A gestão de projetos sociais ou de desenvolvimento é uma profissão e vem se especializando a cada dia, ficando mais técnica e até tecnológica com o avanço da tecnologia da informação e a chegada da nova economia. O mundo tem mudado e agora muda em uma velocidade máxima. Piscou, pode perder e ficar para trás. 

A mágica, nem sei se é essa a palavra, para os gestores sociais é misturar a técnica com a arte (Guia PMD PRO, 2012). Arte é o amor pela causa, a intuição, a experiência, a empatia junto as técnicas de mercado e gerenciamento de processos que vem do setor administrativo, da economia e da nova era digital. Para bons gestores sociais aliar a causa e a técnica são cruciais para ir à frente e obter, de fato, o impacto positivo, que é o objetivo central de toda iniciativa social. 

Fonte imagem: Guia PMD PRO 2012 - PM4NGOs

Essa premissa é tão importante porque tem sempre muita coisa envolvida em projetos e que precisam ser analisadas. Eu listei 06 pontos de atenção que ao meu ver precisam ser encarados com realidade e que podem causar muitas falhas no gerenciamento: 

1-O público beneficiário, que receberá a ação, são os mais importantes no projeto. Escutá-los é crucial. Construir projetos que não atendem a necessidades reais é uma perca de tempo, de recursos e de parceiros. No final nada acontece, nada de impacto social. Pesquisa, mapeamento e estudo são os primeiros passos para construções estruturadas e mais seguras. Escuta ativa e coleta de informações de quem vivencia os problemas na pele e de forma diária não é algo complementar, é algo que deve ser encarado como fundamental. (Leia o artigo Mapeamento e público-alvo aqui).

2- Olhar sistêmico e gerenciamento de riscos. Quando se constrói projetos, o gestor (a) precisa tentar visualizar o todo: o princípio, o meio e o fim do projeto na íntegra. Isso é a visão sistêmica, pensar o projeto de forma sistêmica, integrada, conjunta, como um sistema de fios que se conectam e fazem uma engrenagem funcionar. A partir disso, pode-se prever possíveis riscos, contratempos que podem vir a acontecer durante a implementação do projeto. A gestão de riscos é criar um plano com alternativas para controlar, mitigar (diminuir efeitos dos eventos) ou evitar o acontecimento danoso. Um risco não previsto pode necessitar de recursos extras e que muitas vezes, o projeto não dispõe, daí a importância de projetos bem construídos e implementados. (Leia o artigo sobre Olhar sistêmico e gestão de riscos aqui)

3-Tentar pular etapas. Projetos e empreendimentos são complexos, negociáveis e estruturados. Respeitar o processo, o tempo, a equipe e as entregas são fundamentais. É profissionalismo puro e reconhecimento ao público-alvo. Controle em todo o percurso e uso de ferramentas funcionais são fundamentais para respeitar as etapas, tempos e entregas. (Leia o artigo sobre pular etapas aqui).

via GIPHY

4- A captação de recursos e de investimentos não é algo fácil. Exige tempo, esforço e dedicação do setor responsável. São horas de trabalho e esforço para retornos em médio à longo prazo. Ter isso em mente, ajuda a pensar em cada estratégia, profissionais e metas para uso do recurso de forma eficiente e direcionada. (Leia o artigo sobre captação de recursos/investimentos aqui).

5-Financiamentos, parcerias e apoios, sobretudo com repasses financeiros, geram exigências do financiador/cliente/contratante. Jogo de cintura para gerenciar recursos e impacto são essenciais, sobretudo, para alinhar as diferentes visões e objetivos de cada parceiro/apoiador. 

6- A avaliação de impacto começa antes mesmo de iniciar o projeto. É um projeto a parte, paralelo que exige planejamento, ações, transcrições, pesquisa, análise e cuidado com dados e interpretação eficientes. Não menospreze essa premissa, é ela que você entregará no final e é feita durante toda a vida útil do projeto/empreendimento. Tem gente que até inventa depoimento de beneficiário para entregar relatório porque não fez a coleta no tempo devido da avaliação (xiii).

via GIPHY

Esses são apenas seis pontos de atenção, tem muito mais e cada uma se abre em um campo cada vez mais amplo e que são essenciais a vida útil de qualquer ação/projeto.

Vou aprofundar cada um nos próximos post's e trazer novas premissas como acréscimo. 

O importante é desmitificar, não romantizar e construir projetos, ações e empreendimentos sociais mais estruturados e de real impacto social positivo.

via GIPHY

Quais são os pontos de atenção para você? O que te incomoda nessa construção de projetos sociais? Me fala aí nos comentários!!!


Até a próxima,  

Manú Oliveira - Instagram @manu_brasilis

Fundadora Social Brasilis - Instagram @socialbrasilis







Um comentário:

  1. Muito bom! Sugestão publicar em diversos lugares, como o Medium/linked in/ .... e similares

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...