01 abril, 2020

A Produtividade e VOCÊ em dias de quarentena


Nos desafios da atualidade surge um apelo para a readaptação, para a mudança e para o recomeço de uma nova jornada que foi alterada por fatores externos e por isso mesmo, que estão longe do nosso controle.

Como é de praxe do ser humano, a acomodação é um prato cheio no dia-a-dia. Nós nos acomodamos de verdade e quando recebemos um chacoalho da vida nos vemos vulneráveis e perdidos. É assim com a maioria das pessoas, a grande maioria mesmo.

Uma das grandes lições que uma jornada empreendedora ou de ensino/aprendizado focado na resiliência, na criatividade e na inovação, é justamente essa: a capacidade de se adaptar aos cenários de mudanças extremas.


Como todo o mundo, todo o mundo mesmo, tendo que estar em casa para evitar um colapso da saúde global, a situação do trabalho, da saúde física e mental e até mesmo das relações em casa passam por desafios. O que fazer para sobreviver e sair ileso dessa?

Separei algumas dicas de quem está tendo , assim como parte da população do planeta, que se adaptar a esses novos tempos, no caso eu.

1- Tenha rotina defina – É muito importante ter um guia, um plano da jornada para o trabalho. O que você pode fazer online todos os dias. Se você é empreendedor, isso pode ser mais fácil para você, pois reuniões e contatos com suas equipes podem ser feitas de forma remota, tal como a escrita de artigos, conteúdos, pesquisas e reuniões online com fornecedores/parceiros.

2-Separe o pessoal e o profissional – Cumpra suas atividades de trabalho do dia e faça outra atividade adaptada como exercícios físicos, por exemplo. Pesquise bons treinos de profissionais nas redes e tente seguir. Uma dica interesse é o Fitdance via Youtube, eficaz e que pode ser divertido.

3-Faça uma atividade criativa – Se você não é dos exercícios e nem do Fitdance (e tudo bem!), dedique-se a alguma atividade manual: costura, bordado, crochê, pintura, isso alivia a ansiedade e o estresse. Existem excelentes tutoriais no Youtube e no Pinterest, tente fazer. Ou apenas tente aprender algo novo via web-aulas. O  YouTube é um campo rico de assuntos. Aprender  programação, design gráfico ou até mesmo outro idioma, é super possível de ser feito online.

4- Saúde mental em primeiro lugar – Tenha momentos de pausa entre essa jornada e esses pontos acima. Medite, faça suas orações, escreva,  leia, estude ou cuide de você. Momentos de ócio, lazer e cuidados de beleza são importantes também.

5- Fale com quem você ama – Interações virtuais via whatsapp, hangouts e etc, ou ligações diretas aproximam as pessoas de nós nesse momento. Contato humano, mesmo que virtual, vale muito.

Em meu blog pessoal, escrevi um artigo sobre 10 séries do Netflix que inspiram ao empreendedorismo e a inovação – você pode maratoná-las através desse link aqui.

Estamos todos juntos nessa.

Vai passar e será mais um desafio vencido em nossa história pessoal.
Até mais!

16 março, 2020

Me descobri um canivete suíço!

Quando embarquei no mundo do empreendedorismo, vivenciei uma transformação, uma pira louca de fazer tudo ao mesmo tempo e na velocidade máxima. Isso é uma equação que dar muito errado na vida real, causa estresse, ansiedade e com isso, baixa imunidade e uma série de outras doenças. A realidade do empreendedorismo, no dia-a-dia, é outra e tudo tem seu próprio tempo.

Ouvir essa expressão “seja um canivete suíço” pela primeira vez em um TED Talk da RafaCappai e logo associei aquela minha realidade doida de fazer acontecer, a pira das 12 horas de trabalho, dias viajando e tudo mais e aí pensei, “beleza, empreendedor precisa mesmo ser um pouco de tudo” e dá-lhe fazer tudo ao mesmo tempo para chegar a essa versão ideal.

Com a experiência, o dia-a-dia à frente de um negócio e com a obrigação médica de desacelerar, eu enfim entendi a frase da Rafa e eu me descobri um canivete suíço como quando comecei a desassociar o que era o Social Brasilis (meu negócio) e quem era a Manú Oliveira (euzinha).

Em 2019, me aventurei no mundo das consultorias como uma saída para desassociar e me desbravar como pessoa e profissional. No auxílio a outras instituições a se desenvolverem e causarem impacto social, vi que era quase um power ranger (rsrs) e que não foi o excesso de trabalho nos primeiros anos do empreendedorismo que me levou a ser múltipla, mas minha trajetória de vida, de ser alguém que se arrisca, a praticidade e a mão na massa me fizeram chegar a essa versão de mim mesma.


Me vi montando manequins, fazendo amarrações com tecidos, turbantes, fazendo acessórios com resíduos têxteis para o início de um projeto sobre moda consciente e economia circular, fruto de um processo de apontamento de uma das consultorias que passei a fazer.

No Caju Lab - Laboratório de empreendedorismo e inovação do CIEDS

Um laboratório de costuras e design que capacita e visa montar um empreendimento coletivo local (no interior do Ceará) com mulheres e homens que buscam aprender uma prática/ofício para a geração de renda, através da confecção de acessórios e objetos de decoração a partir de resíduos têxteis descartados pelas indústrias locais. 


Oficina de tingimento de tecidos! 

Fazendo isso, lançando essa iniciativa junto ao CIEDS - Centro de Integração e Estudos de Desenvolvimento Sustentável - me veio a mente: sou realmente um canivete suíço!


O famoso canivete suíço!!! :D

Bordar, tingir, recortar, costurar, fazer bijuterias, vender e gerar renda. Ser múltipla é ser inteira, é experimentar, tentar, se voluntariar, aprender todo dia e se lançar no novo com medo (muito medo mesmo), mas mesmo assim se jogar e fazer acontecer. No seu tempo, no seu ritmo, na sua vontade e de acordo com o tamanho do seu sonho, ser múltipla, ser múltiplo para seu próprio crescimento pessoal!
Bjs!
Manú!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...