11 outubro, 2019

Educação 4.0 você ver por aqui...

Fiz uma série de artigos para o Linkedin falando sobre o conceito de Educação 4.0 e agora compartilho aqui em meu space também.


A educação 4.0 está em alta porque busca preparar o profissional do futuro para a nova economia, o que inclui, também, o capitalismo consciente, um ecossistema profissional mais sustentável e de impacto social, para a indústria 4.0 e sobretudo, para o empreendedorismo 4.0, ou seja, para pessoas criarem seus próprios postos de trabalho em uma economia que tem mudado bruscamente impulsionada pela inovação tecnológica.

Com pessoas mais preparadas para o futuro das coisas, geramos mais desenvolvimento social e econômico, incentivando novos postos de trabalho, equipes corporativas mais eficazes, criação de mais tecnologia para o impacto social positivo,além de novos empreendedores, que geram renda e movimentam a economia de ponta a ponta. 

Muitos postos de trabalho em um futuro bem próximo deixarão de existir, a automação e a inteligência artificial é um novo olhar para o futuro e para cidades mais sustentáveis e inteligentes, precisamos preparar a população para receber esse processo de inovação e para, também, gerar inovação. 
Aplicação Game Olhares - Sertão pernambucano

Vamos aprofundar a leitura dos artigos nos links abaixo e lembrar que eles estão disponíveis também no site oficial do Social Brasilis - disponível aqui.

1- O que é Educação 4.0 e suas habilidades? - aqui.

2- Educação 4.0: trabalhando com projetos em sala de aula  - aqui

3-Educação 4.0: trabalhando com projetos em sua empresa - aqui

4- Educação 4.0: trabalhando com projetos em sua comunidade - aqui

Fica a vontade para comentar e interagir sobre essas temáticas e sobre como trabalhar com elas em seu ambiente de trabalho ou em seus projetos futuros.


Boa leitura!

02 outubro, 2019

Educação 4.0: trabalhando com projetos em sua comunidade

Em meio às transformações tecnológicas e sociais que temos vivido, todos e todas tomam parte nesse avanço. As nossas classes C, D e E que formam a nossa base da pirâmide econômica e social no Brasil e por isso mesmo, formam a força produtiva e de trabalho do país, mas que o acesso a oportunidades de formação e trabalho são mais escassas e insipientes para esse público, precisam ser incluídas na transformação educacional para a nova economia.

O terceiro setor, formado pelas organizações da sociedade civil (OSC’s), são responsáveis por boa parte do trabalho destinado a esse público, buscando incluí-los e gerar valor de impacto social agregado ao desenvolvimento de territórios. O setor 2,5, formado pelos negócios de impacto social ou organizações híbridas (parte organizações sociais mas que possuem área de negócios acopladas) também buscam nesse público gerar impacto social positivo e ao mesmo tempo sustentabilidade financeira, buscando incluir e trabalhar a autonomia social e econômica dessa população. 


Esses agentes que trabalham proporcionando essa transformação na vida dessas pessoas que formam nossa base da pirâmide são peças chave para levar o conhecimento tecnológico e a educação para o acesso e uso positivo das redes em frente, fazendo com que a tecnologia digital também seja um suporte para a geração de valor na comunidade.

Se toda a nossa população está a mercê do avanço tecnológico veloz, o que dizer de quem ainda não tem acesso suficiente a ele e muito menos oportunidades de formação e trabalho no campo? 

                                         “Somos o 4º país mais conectado do mundo, 
                           mas o uso da tecnologia digital é considerado insipiente.”
                                                                 (GOOGLE, 2019)


Como trabalhar a educação 4.0 uma comunidade ou com beneficiários de uma instituição social? Segue nosso case do Programa de Embaixadores Sociais do Social Brasilis.

“O nosso Programa de Embaixadores Sociais é uma iniciativa gratuita, 100% digital e que estimula pessoas de todos os lugares do país a pensarem e a desenvolverem projetos de impacto social em comunidades, escolas, universidades e instituições sociais, tendo como desafio usar a tecnologia digital como um canal ou suporte durante as ações e atividades desse projeto social. O primeiro piloto do programa iniciou em junho/2019 com 88 embaixadores de todo o Brasil, trazendo diferentes temáticas para se pensar projetos e ações para elas, temáticas como: Inteligência emocional para professores, plataforma de capacitação para o 3º setor, preservação de mangues, rede de vendas para artesãs, capacitação em mídias sociais e digitais e etc; O programa possui uma jornada interativa de 10 passos que levam a construção de um projeto do zero, além de material didático e mentorias, e tem duração de 03 meses. Os embaixadores ainda são avaliados através das habilidades 4.0 através do impacto social gerado por seu projeto.”

E aí, em sua comunidade ou alguma instituição social que você conhece, o que você pode fazer para ajudar a construir impacto social positivo? 

Você sabia que além do Programa de Embaixadores Sociais, o Social Brasilis desenvolve metodologias e programas que buscam capacitar as pessoas por meio da educação 4.0, tornando-as autônomas tecnologicamente e independentes financeiramente? Veja nosso site e conheça mais nossos serviços: https://socialbrasilis.com.br/trabalhe-conosco/ ou fale diretamente conosco: contato@socialbrasilis.com.br

Esse é o último artigo da série Educação 4.0 a partir de cases do Social Brasilis. Ainda há muito o que se falar a respeito, espero que esse conteúdo tenha servido para uma introdução ao assunto...em breve, mais informação e conteúdo produziremos sobre isso através das redes. 

Artigo original no Linkedin - aqui 

01 outubro, 2019

Educação 4.0: trabalhando com projetos em sua empresa

A nova economia tem chegado a passos amplos. Quem já não ouviu falar sobre ela ou sobre o capitalismo consciente ou a indústria 4.0? O ambiente corporativo mudou com o avanço tecnológico e por isso, as demandas para compor o quadro do funcionalismo também mudaram, busca-se agora profissionais que pensem diferente,que sejam inovadores, criativos, com senso de iniciativa e que tragam o conceito do impacto social e de visão crítica aguçados ao time. 

Procurar por profissionais assim tem sido a demanda dos RH’s (Recursos Humanos) de várias instituições. As habilidades 4.0 estão em pauta nessa busca. Se procura por profissionais que trabalham bem em equipe, possuam valores sociais e visão crítica e possuam ainda a capacidade de pensar soluções para problemas complexos do meio. Tudo isso são frutos de uma educação 4.0 bem estruturada, livre e sobretudo, significativa, desde a escola. Profissionais como esses interagem com o meio corporativo e do entorno corporativo agregando valor para todos os envolvidos e são capazes de acompanhar o boom tecnológico e as diversas inovações sem comprometer sua colocação profissional ou ser substituído por elas, ao contrário, esse profissional também cria e desenvolve tecnologia de auxílio ao seu trabalho. 

Oficina de empreendedorismo 4.0 com a Aliança Empreendedora em São Paulo-SP

A indústria 4.0 procura profissionais empreendedores capazes de desenvolver projetos, novas ideias, envolver pessoas e dominar a tecnologia para a geração de valor, para todos, sobretudo, para o planeta. Pensar sustentável também é 4.0 e pensar soluções para diminuir o impacto negativo do crescimento e desenvolvimento industrial é urgente e necessário.

Desenvolver os profissionais do futuro da economia e até mesmo um staff (equipe) já existente em sua empresa com um treinamento embasado nessas novas competências é essencial para largar na frente e ter retorno significativo. Eis aí o trabalho com a educação 4.0 no ambiente corporativo para estimular, sobretudo, o intraempreendedorismo e a inovação dentro da sua instituição. 


             "Intraempreendedorismo é a versão em português da expressão ''intrapreneur'', que                  significa empreendedor interno, ou seja empreendedorismo dentro dos limites de                                                             uma organização já estabelecida." 
                                                                     Fonte:Wikipédia


O estímulo a isso pode vir através da resolução de desafios e a criação de soluções pautadas e construídas por projetos. Projetos que podem ser desenvolvidos pelos colaboradores corporativos. Veja um exemplo:

“No Social Brasilis temos um produto chamado inovação criativa para empresas destinada, sobretudo, para a área de recursos humanos para treinamento de staff ou formação continuada de professores. Nesta formação objetivamos desenvolver o perfil do colaborador 4.0 para pensar no âmbito das novas tecnologias e economia. Seguindo uma sequência de resolução de jogos e dinâmicas de desenvolvimento de habilidades, o profissional é desafiado a solucionar questões complexas junto a uma equipe, dominar a comunicação e desenvolver o raciocínio lógico. Além disso, precisam construir um psicodrama da equipe com elementos surpresas que modificam a trama a todo momento, para retratar sua visão crítica e social e apresentar a todos em formato de projetos.”

Com essa iniciativa as competências 4.0 podem ser potencializadas ou desenvolvidas nos colaboradores, seguindo o esquema proposto no quadro abaixo:

Matriz de habilidades 4.0 do Social Brasilis
E aí, onde você trabalha, que tipo de habilidades e competências podem ser trabalhadas em sua equipe?  

Você sabia que além da inovação criativa, o Social Brasilis desenvolve metodologias e programas que buscam capacitar as pessoas por meio da educação 4.0, tornando-as autônomas tecnologicamente e independentes financeiramente? Veja nosso site e conheça mais nossos serviços: https://socialbrasilis.com.br/trabalhe-conosco/ ou fale diretamente conosco: contato@socialbrasilis.com.br



Artigo original no Linkedin - aqui 

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...